FOTOS

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Livro Digital: As Artes da Física

Já está online o livro digital As Artes da Física. Trata-se de uma compilação dos projectos premiados na 8ª edição do Prémio Fundação Ilídio Pinho "Ciência na Escola". A publicação electrónica reúne 33 projectos, da educação pré-escolar ao ensino secundário, e foi lançada pela Ministra da Educação, Isabel Alçada, no passado dia 30 de Junho, na Escola Básica e Secundária Rodrigues de Freitas, no Porto, no âmbito da cerimónia de entrega de prémios do concurso.

Vencedores da 8ª Edição do Prémio da Fundação Ilídio Pinho


A Fundação Ilídio Pinho, em parceria com a Direcção Regional de Educação do Norte e com o Banco Espírito Santo, promoveu, no dia 30 de Junho, uma cerimónia de entrega de prémios aos vencedores da 8ª edição do Prémio Fundação Ilídio Pinho "Ciência na Escola".


A sessão teve lugar na Escola Básica e Secundária Rodrigues de Freitas, no Porto, pelas 14h30, e contou com a presença da Ministra da Educação, Isabel Alçada, Ilídio Pinho, Presidente da Fundação, António Leite, Director Regional de Educação do Norte e José Manuel Espírito Santo, administrador do BES.
Para além da sessão de entrega de prémios esteve patente, na Escola Básica e Secundária Rodrigues de Freitas, uma pequena mostra dos trabalhos premiados, alusivos ao tema da 8ª edição: "As Artes da Física".


O Júri Nacional do Prémio, que reuniu nos passados dias 8 e 9 de Junho, na Direcção Regional de Educação do Norte, decidiu distinguir 33 projectos (oito primeiros prémios ex aequo e 25 menções honrosas), divididos por quatro escalões.


A cada um dos vencedores foi atribuído um prémio de €5.000 (1º e 2º escalões) e €12.500 (3º e 4º escalões), sendo cada Menção Honrosa premiada com €1.000 (1º e 2º escalões) e €5.000 (3º e 4º escalões).


A nossa escola foi premiada com €5.000
MENÇÃO HONROSA

terça-feira, 15 de junho de 2010

MENÇÃO HONROSA



"OLHARES CURIOSOS"


Estamos todos de parabéns!

Com o nosso projecto ganhámos uma

MENÇÃO HONROSA

Obrigada a todos que colaboraram comigo:

Alunos e professores da Escola S/3 Arquitecto Oliveira Ferreira

Pais e Encarregados de Educação

Junta de Freguesia de Arcozelo

sábado, 22 de maio de 2010

Dia Artes da Física

Foi feita uma apresentação e divulgação pública de todo o projecto, através de um dia especial, "Dia Artes da Física”,19 de Maio de 2010, para toda a comunidade escolar, encarregados de educação, bem como entidades locais. Foi também convidada a Dr.ª Sónia Carvalho (DREN).

Concurso de Fotografia

As fotografias e respectivas explicações foram levadas a concurso tendo-se atribuído prémios para as 3 melhores fotografias.
1º PRÉMIO
Por que é que vemos as imagens reflectidas na água?


O que são espelhos?
Um espelho é uma superfície muito lisa, que permite a reflexão da luz que incide sobre ele.

O que é a reflexão da luz?
Em física o fenómeno da reflexão consiste na mudança da direcção de propagação dos raios luminosos (desde que o ângulo de incidência não seja 0º). Consiste no retorno da energia incidente em direcção à região de onde ela é oriunda, após entrar em contacto com uma superfície reflectora.
Quais as leis da reflexão da luz?
A reflexão pode ser explicada totalmente com base em apenas duas leis:
O raio incidente, a recta normal e o raio reflectido são coplanares, ou seja, estão no mesmo plano.
O ângulo de incidência é igual ao ângulo de reflexão.
A água funciona como um espelho podendo-se ver as imagens nela reflectidas.

Ricardo Duarte 8ºF
2ºPRÉMIO
Por que é que vemos as imagens reflectidas na água?


Um espelho é uma superfície polida que reflecte regularmente a luz.
A água vai funcionar como uma superfície reflectora, pode dizer-se que é um espelho.
Espelho de água é um reflexo na superfície das águas, provocado pela incidência dos raios luminosos.
Ricardo Moura 8ºC

3ºPRÉMIO
O Que é o som?


O som é uma onda e para se propagar precisa de um meio material. No caso mais habitual o som propaga-se no ar, mas também pode propagar-se nos líquidos e nos sólidos.
Os sons naturais são, na sua maior parte, combinação de sinais, um som puro possui uma velocidade de oscilação ou frequência que se mede em hertz (Hz) e uma amplitude ou energia que se mede em decibéis. Os sons audíveis pelo ouvido humano têm uma frequência entre 20 Hz e 20 kHz. Acima e abaixo desta faixa estão os ultra-som e infra-som, respectivamente. Os seres humanos e vários animais percebem sons com o sentido da audição, possuindo dois ouvidos, o que permite saber a distância e posição da fonte sonora: a chamada audição estereofónica.

Um instrumento musical é um objecto, construído com o propósito de produzir música. Os vários tipos de instrumentos podem ser classificados de diversas formas, sendo uma das mais comuns, a divisão de acordo com a forma pela qual o som é produzido.


Vítor Martins 8ºC

Jornal: " O Mágico"


Foram divulgadas no jornal das ciências algumas das actividades desenvolvidas no projecto “Olhares curiosos”, bem como alguns trabalhos dos alunos, nomeadamente poemas.


Visita de estudo fábrica Jasmim - Salinas de Aveiro

Os alunos do 7ºAno das turmas : B,E e F realizaram uma visita de estudo a uma Fábrica onde se molda o vidro, para compreenderem melhor uma das questões que levantaram neste projecto: Como se molda o vidro?

Visitaram também as salinas de Aveiro, para explicar outras questões relacionadas com a formação do sal, que também tinham sido formuladas.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Teatros

Com os temas das fotografias realizaram-se peças de teatro

"À Procura da Física na Nossa Vida"
Texto: Isabel Martins
Encenação: Albertina Barbosa
Cenário: Fernanda Felícia
Representação: Alunos do 7ºE







Professora: Meninos, amanhã vão ter uma aula diferente, vamos à procura da Física na nossa Vida.

Alunos: A Física na nossa vida, Professora?

Professora: Sim, vamos sair e ter uma aula de Campo. Assim, vocês vão olhar para tudo o que vos rodeia e vão fazer perguntas às quais vamos tentando dar resposta.

Joana: Que fixe! Uma aula ao ar livre!

Professora: Sim, uma aula ao ar livre, mas não se esqueçam que é uma aula! Quero esses olhos bem abertos e a vossa imaginação posta à prova.

Pedro: O que levamos connosco?

Professora: Podem levar papel e lápis, calçado bem confortável e impermeável, pois pode chover, um boné e muita curiosidade.

(Narrador: No dia seguinte às 9h o grupo de alunos do 8ºAno lá foi com a professora de Física à procura de um “Mundo” diferente).

Professora: Vamos lá meninos, olhem para tudo e façam as perguntas que quiserem. Mas não se esqueçam do método científico que aprendemos na aula!

Rita: Sim, primeiro observamos, depois questionamos, levantamos hipóteses e… Professora, as experiências, como é que vai ser?

Professora: Não se preocupem, vamos ter experiências da vida.

Vasco: Será que vamos descobrir algo novo? Já me estou a imaginar um novo Einstein…

(todos se riram)

Sara: Pois, pois Vasco, até já chumbaste um ano. Ah! Ah! Ah…

Professora: Pronto meninos, vamos lá, todos temos direito a errar, até o Einstein, que foi das mentes mais brilhantes. O Vasco agora até tem excelentes notas. Façam lá as vossas perguntas.

Diana: Professora, por que é que o Céu é Azul?

Professora: Muito bem Diana, a primeira pergunta. Alguém quer responder?

Pedro: Azul só pode ser do Futebol clube do Porto!

Professora: Bem, meninos, não brinquem. Não se esqueçam que estamos numa aula, estamos aqui para aprender.

Pedro: Está bem professora, mas eu acho a cor azul tão bonita! O nosso planeta não é o Planeta Azul?

Rita: Mas isso é porque tem muita água e, visto do céu, é azul.

Professora: Muito bem Rita, já está a tentar dar explicações. Mas alguém sabe por que é que o Céu é azul. Ou não?

Vera: Diga lá professora! Porquê?

Professora: Vou tentar expilcar por partes para perceberem.

Vera: Está bem.

Professora:
1 - A luz é composta de ondas de diferentes comprimentos, e cada comprimento de onda apresenta uma coloração diferente;

2 - A luz do sol, que é branca, é uma junção de todas as outras cores;

3 - O ar é composto de partículas, que interagem com a luz.Quando a luz do sol incide sobre a atmosfera, a luz choca com as partículas do ar As ondas de menor comprimento espalham-se mais e mais rapidamente que as de maior comprimento. A luz azul é uma das que tem menor comprimento, sendo maior apenas que a luz violeta. Porém, a luz violeta existe em quantidade muito menor que a azul na luz solar. Assim, quando entra em contato com a atmosfera, a luz azul propaga-se pelo céu, dando a impressão, para nós, que o "céu é azul".

Pedro: Que complicado! Mas acho que percebi, é como o Arco-Íris, aparecem as cores todas.

Professora
: Muito bem Pedro! Estás a fazer uma associação entre fenómenos físicos.

Rita: O que é então o Arco-Íris?

Joana: Eu acho que o Arco-ìris é a ponte que liga o Céu à Terra!

Professora: Isso é que é uma imaginação fértil, Joana!

Pedro: Diga lá professora.

Professora: Um Arco-Íris é um fenómeno óptico e meteorológico, que separa a luz do sol no seu espectro, aproximadamente contínuo, quando o sol brilha sobre gotas de chuva.

Rita: Por isso, o Arco-Íris aparece quando está sol e de repente chove.

Professora: Muito bem, Rita.

Sara: Professora, voltando à pergunta porque é que o Céu é Azul, tem a ver com luz, com Sol e com as cores. Então à noite, o céu é preto porque não tem Sol?

Professora: Muito bem observado, Sara.
À noite não há incidência de raios solares, logo não há propagação de luz, e vemos o espaço como ele realmente é: incolor.

Joana: Se a Luz branca é a junção de todas as cores, o preto é a ausência de cor, ou seja ausência de luz.

Professora: Tenho aqui verdadeiros cientistas! Muito bem Joana!

Rita
: Professora e aquilo que eu disse sobre a Terra ser o planeta Azul?

Professora
: Estavas certa Rita, A Terra é chamada o Planeta Azul, pois quando vista do espaço apresenta uma tonalidade azulada. Isto acontece porque cerca de 71% da sua superfície está coberta por água.

Joana: Já que estamos a falar de água, ou melhor H2O, aprendi algumas coisas na aula de Física e Química! Quanto tempo o ser Humano pode estar sem beber água?

Professora: O Homem pode sobreviver cerca de 50 dias sem comer, mas pode morrer em poucos dias, em média, 4, por falta de água no seu organismo.

Vasco: Li algures, que uma torneira a pingar pode desperdiçar mais de 190 litros de água por dia.

Professora: Pois é Vasco, é preciso poupar água, esse líquido tão maravilhoso essencial à vida na Terra. Sabiam que há pessoas que têm falta de água potável?

Rita: Sem água o Planeta morreria.

Professora
: Pois era Rita. Sabiam que em África, seis em cada dez pessoas continuam sem acesso a água potável?

Diana: Temos que fazer uma campanha para poupar água.

Vera: Já que estamos a falar em água, o que é o ciclo da água?

Rita: Aprendemos nas aulas de Ciências e de Física e Química, já não sabes?

Professora
: Vamos lá, não sejas assim Rita, explica à Vera o que é.

Rita: A água que existe na Terra circula entre a atmosfera, os continentes e os oceanos de forma cíclica, mudando do estado sólido para o estado líquido e deste para o gasoso, voltando novamente ao estado líquido, num movimento perpétuo que alimenta a vida no nosso planeta.

Professora: Muito bem Rita! Vamos continuar a nossa caminhada, observem, façam mais perguntas.

Pedro: Professora, olhe aquela formiga, vai carregada.

Professora: Uma formiga consegue transportar 10 vezes e algumas 50 vezes o seu próprio peso!
Vasco: Imagina-te, Pedro, com 10 amigos ao colo! Ou 50! Meu Deus!

Joana: Tendo em conta o seu tamanho, deve ser o animal mais forte do mundo!

Rita: Por isso o elefante tem medo dela…

Pedro: És mesmo tonta! O elefante não tem medo de formigas! Tem medo de ratos!

Rita: Oh! Tens razão, mas também deve ter medo de formigas! Elas são tão fortes!

Sara: Professora, está a começar a chover.

Professora: Abriguem-se meninos.

Pedro: Professora! Olhe o Arco-íris!

Todos: Que bonito!

Vera: Nem de propósito, estava Sol, veio a chuva e lá está o Arco-Íris a espreitar!

Professora: Pois é, meninos.

Vera: Acho que já sei explicar o que é a chuva.


Professora: Diz lá Vera.

Vera: A Chuva é um fenómeno meteorológico que consiste na precipitação de água no estado líquido sobre a superfície da Terra. A chuva forma-se nas nuvens.

Rita
: Aprendeste alguma coisa comigo…

Professora: Muito bem explicado, estou a ver que tenho de dar muitos cincos…

Professora
: Bem meninos, deixou de chover, são horas de voltarmos.

Rita: Já, Professora? Estava a gostar tanto da aula.

Pedro: Vamos ter de repetir.

Joana: Aprendi tantas coisas e foi tão divertido, além de que fizemos exercício físico.

Vasco
: Realmente a Física é uma ciência fascinante! Temos de olhar à nossa volta com olhos de ver!

Professora: Assim é que é falar. Fico muito contente por terem gostado e de terem aprendido alguma coisa.

Construção do Relógio de Sol / Rosa dos Ventos

Medições no local



Localização do relógio de Sol / Rosa dos ventos

Espaço Urbano seleccionado para a construção do
Relógio de Sol / Rosa dos Ventos




Foi estudada a localização do Relógio de Sol / Rosa-dos-ventos, atendendo a aspectos como a luminosidade , o acesso pedonal, integração no espaço envolvente, de modo a construir um espaço aprazível e de interesse científico.
A escola, desta forma, deixa o seu registo na freguesia, contribuindo para a cultura científica da população de Arcozelo.

Maqueta do Relógio de Sol / Rosa-dos-Ventos


Os alunos das turmas A, B e F do 7ºAno em oficina de Artes, com a professora Dulce Castro, construiram a maqueta do Relógio de Sol Rosa-dos-Ventos




sexta-feira, 30 de abril de 2010

Construção de um Relógio de Sol/ Rosa dos Ventos - Esboço


Esboço do relógio de Sol / Rosa-dos-Ventos




Devido ao elevado número de fotografias sobre o Sol, foi sugerido a construção de um Relógio de Sol / Rosa dos Ventos numa rotunda da freguesia de Arcozelo, à qual a escola pertence. Reunimo-nos com o Presidente da Junta da Freguesia, Dr. Nuno Chaves, que aprovou a nossa ideia e se mostrou disponível para colaborar no que fosse necessário.

Oficinas - 9ºAno

Foguetão




Forno Solar







Princípio de Arquimedes


Como as pontes se sustentam?

Ponte feita com massas




Por que os Barcos se afundam?

Oficinas - 8ºAno

Som e Luz

Negrito